10ª edição do Prêmio Patrícia Acioli premiou iniciativas humanitárias. Corregedor participou de forma online
Notícia publicada por ASCOM - CGJ em 09/11/2021 16:01

 

 
A Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro (AMAERJ) realizou nesta segunda-feira (08/11) a 10ª edição do Prêmio Patrícia Acioli de Direitos Humanos. Com o intuito de dar continuidade à luta da magistrada em prol da dignidade humana, o evento premiou os três primeiros colocados nas categorias: Práticas Humanísticas; Reportagens Jornalísticas; Trabalhos Acadêmicos; e Trabalhos dos Magistrados. 

Além disso, também teve a entrega do Troféu Hors Concours, post mortem, à juíza Viviane Vieira do Amaral, vítima de feminicídio em 24 de dezembro de 2020, que atuava na 24ª Vara Cível da Capital.  A magistrada, que tinha 45 anos, integrou a Magistratura do Estado do Rio de Janeiro por 15 anos.  

O evento foi híbrido, com transmissão online pelo canal da AMAERJ no YouTube. O desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo, corregedor-geral da Justiça do TJRJ, participou da solenidade, acompanhando online a cerimônia.

O Prêmio Patrícia Acioli de Direitos Humanos 

Criado em 2012, o prêmio da Amaerj celebra a memória da juíza Patrícia Acioli. Titular da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, ela foi morta em 2011, em Niterói, por policiais militares. 

“Patrícia Acioli simboliza o bem, a dignidade humana e a cidadania. Ela estará sempre conosco. Nós não a esqueceremos jamais. A partir de seu exemplo, o Prêmio propaga ações, práticas e causas justas da sociedade, especialmente em tempos de pandemia”, pontua o Juiz Felipe Gonçalves, presidente da AMAERJ. 

Saiba mais sobre o Prêmio:

http://www2.amaerj.org.br/premio/