Serventias com melhores boas práticas em 2022 são premiadas
Notícia publicada por ASCOM - CGJ em 30/11/2022 20:10

Uma solenidade repleta de alegria e comemorações marcou a premiação da 2ª edição do Selo de Boas Práticas – 2022 na Corregedoria Geral da Justiça, na tarde desta terça-feira (29/11).

O prêmio reconheceu as melhores boas práticas das unidades cartorárias, administrativas e executoras de mandados que implementaram ações para melhoria na rotina do trabalho com ganho de eficiência, celeridade e praticidade.

A cerimônia de premiação foi conduzida pelo corregedor-geral da Justiça, desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo, que reforçou o objetivo do projeto: proporcionar a troca continua de experiências e de conhecimento entre as unidades, além de estimular a implementação de boas práticas.

“No ano passado, quando eu assumi a Corregedoria, começamos a pensar o que podíamos extrair de melhor de cada serventia. Sabemos que todos vocês, servidores e servidoras, têm ideias inovadoras e que precisam ser aproveitadas. E esse projeto busca o dinamismo, a inovação, a estimulação de boas ideias, e compartilhá-las institucionalmente. Não é para guardar para nós aquilo que fazemos de bom. Ao contrário, tudo tem que gerar proveito para a Justiça e para a sociedade”, disse o corregedor.

A mesa da premiação foi composta também pelo presidente da Comissão de Políticas Institucionais para Promoção da Sustentabilidade (COSUS), desembargador Heleno Ribeiro Pereira Nunes, e pelos juízes auxiliares da CGJ: Fernanda Xavier, Renata Guarino, Ana Paula Barros, Ricardo Lafayette e Alberto Republicano Jr.

Sustentabilidade

Um dos momentos mais especiais da solenidade, foi a divulgação do vencedor na categoria “Prática mais Inovadora”, concedida à unidade administrativa que implementou o “Projeto de Sustentabilidade Coleta Seletiva Solidária”, o 5º Núcleo Regional.

O desembargador Heleno Ribeiro Pereira Nunes, presidente da COSUS, e o corregedor Ricardo Cardozo entregaram o Selo Prática Inovadora ao juiz dirigente do 5º NUR, Marcelo Costa Pereira.

Excelência

A grande vencedora do ano de 2022, com 29 práticas comprovadas foi a Vara de Execuções de Medidas Socioeducativas – VEMSE, que recebeu o Selo Excelência. O prêmio foi entregue pelo corregedor à juíza Lucia Glioche e equipe.

Dentre as unidades executoras de mandados, o destaque foi para a Central de Cumprimento de Mandados das Varas de Fazenda Pública e Juizados Especiais de Fazenda Pública da Comarca da Capital, com 19 práticas comprovadas. Recebeu o Selo Inovação a juíza Kátia Torres e equipe.

Resultado da premiação

As unidades cartorárias contempladas com o Selo de Boas Práticas são:

Categoria Ouro

Vara de Execuções de Penas e Medidas Alternativas da Comarca da Capital – VEPEMA;

Vara de Execuções de Medidas Socioeducativas da Comarca da Capital - VEMSE;

Central de Cálculos Judiciais da Comarca da Capital;

III Juizado Especial Cível da Comarca da Capital;

Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania da Comarca da Capital – CEJUSC;

1ª Vara Criminal da Comarca de São Gonçalo;

4ª Vara Cível da Comarca de São Gonçalo;

5ª Vara Cível da Comarca de Volta Redonda;

Central de Dívida Ativa da Comarca de Magé;

Vara Cível Regional de Vila Inhomirim da Comarca de Magé (1ª Vara);

Vara Criminal Regional de Vila Inhomirim da Comarca de Magé (2ª Vara);

Distribuidor, Contador e Partidor da Comarca de Magé;

Distribuidor, Contador e Partidor da Comarca de Nova Friburgo;

1ª Vara da Comarca de Santo Antônio de Pádua-Aperibé;

1ª Vara Cível Regional da Ilha do Governador da Comarca da Capital;

V Juizado Especial Criminal Regional do Méier da Comarca da Capital;

6ª Vara Cível Regional de Campo Grande da Comarca da Capital.

Categoria Prata

Vara de Família Regional de Vila Inhomirim da Comarca de Magé;

V Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Comarca da Capital.

 

As unidades executoras de mandados contempladas com o Selo de Boas Práticas são:

Categoria Ouro

Central de Cumprimento de Mandados das Varas de Fazenda Pública e Juizados Especiais da Fazenda Pública da Comarca da Capital;

Central de Cumprimento de Mandados das Varas Criminais, Juizados da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, Juizados Especiais Criminais, da Turma Recursal e da Central de Audiência de Custódia da Comarca da Capital;

Central de Cumprimento de Mandados das Varas de Família, Infância, Juventude, Idoso, Órfãos e Sucessões da Comarca da Capital;

Central de Cumprimento de Mandados das Varas Cíveis, Empresariais e de Registros Públicos e dos Juizados Especiais Cíveis e das Turmas Recursais Cíveis da Comarca da Capital;

Central de Cumprimento de Mandados da Comarca de Volta Redonda;

Central de Cumprimento de Mandados da Comarca de Cachoeiras de Macacu;

Central de Cumprimento de Mandados da Comarca de Santo Antônio de Pádua-Aperibé;

Central de Cumprimento de Mandados do Fórum Regional do Méier da Comarca da Capital;

Central de Cumprimento de Mandados do Fórum Regional da Barra da Tijuca da Comarca da Capital.


Relatos

"Antes de demonstrar as práticas que foram adotadas com êxito neste cartório, gostaria de agradecer ao Exmo. Sr. Corregedor pela iniciativa, ressaltando que ações dessa natureza demonstram reconhecimento pelo trabalho exercido pelos servidores deste Tribunal, e engrandecem o sentimento de que as demandas serão solucionadas de forma cada vez mais célere e eficaz.”

III Juizado Especial Cível - Capital

 

“Foi por mais de 10 anos, uma serventia certificada pela norma ISO  9001:2015, e, portanto, vem sempre trabalhando na busca incessante de qualidade da gestão pública e efetividade na prestação Jurisdicional, razão pela qual, está sempre procurando adotar boas práticas na rotina de trabalho.”

Capital – Central de Mandado das Varas Cíveis

 

“O resultado que vem sendo alcançado pode ser evidenciado pela redução do número de processos disponibilizados à Central de Cálculos Judiciais no último ano, que alcançou o número de 12.800 processos eletrônicos em 10/2021. Hoje esse número corresponde a 5.625 processos.”

Central de Cálculos Judiciais da Comarca da Capital

 

“...As boas práticas implementadas nortearam a serventia e os profissionais de tal forma que o ambiente de trabalho, a rotina cartorária, o processamento, a arrecadação fiscal e o trâmite processual tiveram grandes evoluções. O acervo diminuiu consideravelmente como nunca antes visto, os processos paralisados...”

Central da Dívida Ativa de Magé

 

“Desde o início do ano de 2022 estamos organizando a rotina do cartório utilizando como parâmetro o banco de boas práticas instituído pela Corregedoria do Tribunal de Justiça. Até a presente data podemos destacar as seguintes práticas como efetivamente implementadas por esta serventia para o aprimoramento do atendimento e cumprimento de metas...”

V Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher – Capital