Casamento Comunitário realiza sonho de união com apoio do TJRJ
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 01/12/2023 15:25

                                                       Cinquenta casais tiveram a união estável oficializada durante o Casamento Comunitário realizado no Museu da Justiça 

 

Ao som de “Anunciação”, de Alceu Valença, cantada pelo coral Amigos do Tribunal, cinquenta casais entraram no plenário do antigo Tribunal do Júri do Museu da Justiça do Rio nesta sexta-feira (1º/12) para oficializarem a união estável através do projeto Casamento Comunitário, uma iniciativa da Secretaria Geral de Sustentabilidade e Responsabilidade Social (SGSUS) do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ). 

Funcionário do Tribunal na função de garçom, André Terra da Silva, de 54 anos, foi um dos beneficiados pela iniciativa que tornou possível a realização do sonho antigo do casamento com a companheira Isabel dos Santos, de 47 anos. Eles moram juntos há dois anos e se conhecem há três décadas. O noivo conta que eles se reencontraram através das redes sociais, após ambos terminarem o casamento com seus respectivos pares. E, a partir dali reataram o casamento. A ideia foi incentivada pelas famílias, incluindo os filhos de cada um, e por um servidor para quem ele trabalha que já conhecia o projeto.

                                                             Isabel e Andre se reencontram através da internet e decidiram formalizar a vida em comum com apoio do TJRJ

 

“Estou feliz por estar me casando com a mulher que eu amo e para proporcionar uma vida digna para ela e para a minha filha, as pessoas mais importantes da minha vida. Tenho certeza de que a minha falecida mãe deve estar comemorando no céu pela nossa união porque sempre dizia que um dia me casaria com Isabel. Aqui estou realizando um sonho dela o e meu”, disse o noivo.

Emocionada, Isabel aguardava ansiosa pela sua vez para assinar a documentação e poder comemorar. “Estou feliz por estar me casando com o homem que eu amo e me reconquistou através da tela do computador”, contou.

Além deles, Claudia Cristina de Carvalho, de 55 anos, e Joaquim Jorge Figueiredo, de 65 anos, também foram contemplados com o programa após quatro anos de relacionamento. Os dois se conheceram no prédio em que moram no Catete, Zona Sul do Rio, quando eram vizinhos. Joaquim se mudou para o edifício após a separação de uma antiga companheira. Aposentado, ele tem duas filhas maiores de idade que apoiaram a oficialização do compromisso.

“Aproveitamos a oportunidade e nos inscrevemos por e-mail. Achei a iniciativa do Tribunal muito legal. Muita gente não casa pelo valor, pela burocracia, e acaba se acomodando. É uma questão emocional, é oficializar perante a sociedade”, destacou Joaquim.

O juiz titular da 1ª Vara de Família da Comarca de Capital, Gilberto de Mello Nogueira Abdelhay Júnior, que está acostumado a julgar casos de divórcio, disse “sim” para a união de casais ao ser convocado e se diz feliz em participar da iniciativa.

“É muito gratificante celebrar o amor das pessoas. Estou acostumado a ver pessoas brigando e se divorciando na Vara de Família que atuo. Então, celebrar o casamento comunitário é uma oportunidade positiva porque conheço histórias tão interessantes de pessoas sem condições financeiras de realizar a conversão da união estável em casamento que o projeto do TJRJ viabiliza".

                                                                             Sala do Museu da Justiça foi utilizada na ação de conversão da união estável dos casais 

 

Promovido pela Secretaria Geral de Sustentabilidade e Responsabilidade Social (SGSUS), o projeto Casamento Comunitário tem o objetivo de converter uniões estáveis em casamentos – além de regularizar o estado civil de casais hipossuficientes, que já vivem maritalmente, para fins de proteção da família e ampliação das garantias dos direitos patrimoniais, sucessórios e previdenciários. Participaram também os juízes Maria Aparecida da Costa Bastos, da 51ª Vara Cível da Capital, a juíza Gracia Cristina Moreira, da 1ª Vara de Órfãos e Sucessões e Antônio Luiz da Fonseca Luchese, da 44ª Vara Cível, além da juíza-auxiliar da presidência Ana Paula Monte Figueiredo Barros e Antônio Ligeiro, secretário-geral de Sustentabilidade e Responsabilidade Social (SGSUS).

Na solenidade, os contemplados receberam a certidão com o novo estado civil. 

 

Como se inscrever

 

As inscrições estão abertas para futuros Casamentos Comunitários pelo e-mail  diiso.casamento@tjrj.jus.br e pelo telefone (21) 3133 2054.


SV/FS


Fotos: Brunno Dantas