Palestra ao vivo sobre Código de Ética e Conduta da Corregedoria reúne mais de 500 servidores
Notícia publicada por ASCOM - CGJ em 05/07/2021 13:18

A palestra virtual “Código de Ética e Conduta da Corregedoria Geral da Justiça e os Desafios da Mudança na Cultura Organizacional” reuniu ao mesmo tempo pela Plataforma Teams 521 servidores do Tribunal de Justiça fluminense.

Quem falou sobre o assunto foi a servidora convidada pela Corregedoria, Ana Paula Sardinha Borges, especialista em Gestão de Pessoas, Gestão de Projetos e Administração Pública. Para ela, o expressivo número de participantes reflete a importância e a novidade do assunto.

“De forma inovadora e pioneira, a Corregedoria disponibiliza um Código de Ética e Conduta que busca gerir comportamentos e nortear as nossas decisões e comportamentos, que são bastante complexos no mundo real. Pela primeira vez a Corregedoria abre um espaço não punitivo. O Código é um documento disruptivo,  com abordagem humanizada e adequada às situações do dia a dia no trabalho. É a primeira vez que a Instituição está dizendo formalmente o que espera de nós, o que devemos e o que não devemos fazer, de maneira muito clara e objetiva, num texto de fácil leitura, que recomendo, em especial, aos gestores, e que seja disponibilizado e tornado acessível a todos”, considerou a palestrante. 

A palestra foi organizada pela Escola de Administração Judiciária do TJRJ.  

 

Código de Ética e Conduta

A Corregedoria Geral da Justiça implementou o Código de Ética e Conduta por meio do Provimento CGJ nº 32/2021. O projeto foi desenvolvido pela Diretoria Geral de Planejamento e Administração de Pessoal da CGJ (DGAPE), com a coordenação da juíza auxiliar da CGJ, Fernanda Xavier de Brito.

O Código de Ética e Conduta é divido em capítulos que informam sobre: princípios básicos, padrões de conduta, vedações, sigilo de informações, imprensa e redes sociais, brindes e presentes, erros ou falhas cometidas, resolução de conflitos, tratamento das condutas de assédio e discriminação e disposições gerais.

Com o Código foi também instituída, pela Corregedoria, a Comissão de Ética e Boas Práticas que tem como atribuição zelar pelo cumprimento do Código de Ética e Conduta e ser responsável pelos requerimentos referentes a dúvidas, orientações, infrações e/ou outros assuntos regulados neste Código.

Acesse a versão digital do Código de Ética e Conduta da CGJ:

http://cgj.tjrj.jus.br/documents/1017893/7972598/codigo_de_etica.pdf