Desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo é empossado corregedor-geral da Justiça para o biênio de 2021/2022
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 08/02/2021 18:13

Magistrado há 32 anos, Ricardo Rodrigues Cardoso, foi empossado, em solenidade realizada na última sexta-feira (05), no Plenário da Lâmina Central do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ), como corregedor-geral da Justiça para o biênio 2021/2022.

Também tomaram posse, durante o evento, o desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira como presidente do TJRJ; José Carlos Maldonado de Carvalho (1º vice-presidente); Marcus Henrique Pinto Basílio (2º vice-presidente); Edson Aguiar de Vasconcelos (3ª vice-presidente); e Cristina Tereza Gaulia (diretora-geral da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro - EMERJ).

Restrita a poucos presentes, em função da pandemia do Covid-19, a solenidade foi transmitida ao vivo pelo canal oficial do PJERJ no YouTube.

O corregedor, eleito desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo, foi conduzido ao plenário pelos desembargadores Caetano Ernesto da Fonseca Costa, Maria Regina Fonseca Nova Alves, Sérgio Seabra Varella e Maria Isabel Paes Gonçalves.

Após prestar o compromisso, Ricardo Rodrigues Cardozo foi empossado pelo presidente do TJRJ, desembargador Henrique Carlos de Andrade Figueira, no cargo de Corregedor-Geral da Justiça do Estado do Rio de Janeiro.  

Para o novo corregedor a função exige sensatez e seriedade: “Tenho uma imensa responsabilidade pelos próximos dois anos, a de conduzir a Corregedoria Geral de Justiça do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. A tarefa, evidentemente, é espinhosa. Mas eu prometo fazer tudo para honrar o mandato que me outorgaram. Sei de todas as dificuldades”, afirmou Cardozo.

Estiveram presentes na cerimônia: o ministro Luiz Fux, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ); o ministro do STF e presidente do Tribunal Superior Eleitoral Luís Roberto Barroso; os ministros Marco Aurélio Belizze e Antonio Saldanha Palheiro, do Superior Tribunal de Justiça (STJ); o governador do Estado do Rio de Janeiro, Claudio Castro; o prefeito do Rio, Eduardo Paes; a juíza Renata Gil, Presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros; o presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Felipe Santa Cruz; o procurador-geral de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, Luciano Oliveira Mattos de Souza; o cardeal Dom Orani João Tempesta, Arcebispo da Arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro; o deputado estadual André Ceciliano, presidente da Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro, dentre outras autoridades.

Eleição

O desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo foi eleito pelos magistrados do Tribunal Pleno em sessão de julgamento realizada no dia 30 de novembro por meio de votação eletrônica em sistema híbrido - 177 desembargadores votaram de forma presencial e online.

Perfil

Ricardo Cardozo é bacharel em Direito pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Foi defensor público por seis anos. Foi juiz no interior e na capital. É desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro desde 2003, e atualmente presidente da 15ª Câmara Cível do Tribunal. Foi membro da Comissão de Legislação e Normas do TJ (COLEN) no biênio 2009-2010. Presidiu a Comissão de Políticas Institucionais para Eficiência Operacional e Qualidade dos Serviços Judiciais (COMAQ) nos anos de 2015/2016. Foi diretor-geral da Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro no biênio de 2017-2018. 

O exercício da magistratura, mas, principalmente, a direção da COMAQ e da EMERJ conferiram ampla experiência no que toca a gestão do 1º grau de jurisdição. Já à frente da EMERJ tornou a escola mais dinâmica, aproximou o juiz da sala de aula e investiu em tecnologia com estúdio virtual e ensino a distância. Na EMERJ foi considerado um gestor inovador e alcançou recordes como na participação de magistrados nos cursos de aperfeiçoamento e do público expressivo em seminários e palestras. 

Metas na CGJ

“Prometo que seguirei firme na trilha que ora se apresenta na atividade correcional, na busca de fazer cessar os malfeitos, valorizar os servidores da casa, estar ao lado dos juízes que trabalham e que são firmes nos seus propósitos, e de olhar para a atividade notarial extrajudicial de forma responsável e firme”, disse o corregedor eleito.

Ricardo Cardozo buscará o diálogo e a democracia com canais de comunicação abertos.

Entre as suas metas para Corregedoria estão: foco em políticas administrativas; implementação de programa de trabalho remoto, com maior controle e transparência e mecanismos para monitoramento; fiscalização judicial e aprimoramento de mecanismos de controle por verificação estatística; transparência na fiscalização extrajudicial; incentivo e aprimoramento dos mecanismos de conciliação e mediação; qualificação e aprimoramento de servidores; investimento em tecnologia e informática; diálogo e democracia. 

 

Assessoria de Comunicação Institucional da CGJ

08 de fevereiro de 2021

 

Galeria de Imagens