Assistentes sociais e psicólogos do TJRJ debatem estratégias para o enfrentamento da violência de gênero
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 28/11/2018 18:34

Como parte da programação da Semana da Justiça pela Paz em Casa, a Corregedoria Geral da Justiça promoveu, nesta quarta-feira (28/11), o debate “Estratégias de atuação técnica para o enfrentamento da violência de gênero”, voltado para assistentes sociais e psicólogos que atuam em Juizados de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro. A juíza Katerine Jatahy Kitsos Nygaard; a chefe do Serviço de Apoio aos Assistentes Sociais (SEASO), Luciene da Rocha; e a chefe do Serviço de Apoio aos Psicólogos, Patricia Glycerio, abriram o evento no auditório Desembargador José Navega Cretton.

- O trabalho para combater a violência contra a mulher é muito importante, embora muitas pessoas não o valorizem. Pensam que a mulher que está naquela situação de violência está porque quer. Mas não é nada disso. Se ela pudesse, sairia daquela situação. Então, nosso papel, enquanto Judiciário, principalmente o da equipe técnica, que tem contato mais próximo com essas mulheres, é fundamental para quebrar esse ciclo de violência – ressaltou a juíza Katerine Nygaard.

O debate contou com dois painéis. O primeiro, “Desafios da atuação na execução das medidas”, teve como palestrantes o professor Marco Julián Martinez-Moreno, pós-doutorando na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ); os psicólogos Camille de Andrade Saraiva, Beatriz Lucas Losada Affonso  e José Cesar Coimbra; e as assistentes sociais Kelly Affonso de Siqueira, Neiva de Pádua Chamas.

O segundo painel, “Tecendo redes de apoio à mulher vítima de violência”, contou com a palestra da subsecretária de Políticas Para Mulheres do Município do Rio de Janeiro, Comba Marques; da  assistente social Soyanni Silva Alves;  além de representantes de organizações da Sociedade Civil.

Em sua 12ª edição, a Semana da Justiça Pela Paz em Casa começou na segunda-feira (26/11) e vai até sexta-feira (30/11). Promovida pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), em parceria com os Tribunais de Justiça estaduais, a ação tem como objetivo ampliar a efetividade da Lei Maria da Penha (Lei nº. 11.340/2006), concentrando esforços para agilizar o andamento dos processos relacionados à violência de gênero.

Galeria de Imagens