Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos tem 18 finalistas e será entregue dia 12/11, no Tribunal Pleno
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 07/11/2018 12:18

Os ganhadores da 7ª edição do Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos serão anunciados na segunda-feira, 12 de novembro, no Tribunal Pleno do Tribunal de Justiça, a partir das 18h. Foram inscritos 355 trabalhos e a Comissões Julgadora escolheu 18 finalistas nas categorias Trabalhos dos Magistrados, Reportagens Jornalísticas, Práticas Humanísticas e Trabalhos Acadêmicos. Os materiais selecionados tratam de temas como escravidão, fome, imigração ilegal, violência urbana, feminicídio e prolongamento artificial da vida. 

 

FINALISTAS:
(Ordem alfabética por autor)

 

• Trabalhos dos Magistrados

Excesso de Litigância e Demandas Repetitivas: Um desafio para a efetivação da cidadania pelo Judiciário Brasileiro
Autora: Juíza Priscilla Pereira da Costa Corrêa (TRF-2)

Projeto com Viver – Inclusão na Justiça
Autores: Juízes Thiago Inácio de Oliveira e Priscila Lopes da Silveira (TJ-GO)

Justo Eu
Autoras: Juízas Tula Mello e Mirela Erbisti (TJ-RJ)

 

• Reportagens Jornalísticas

Vidas em Trânsito
Autores: Bianca Vasconcellos e equipe
Veículo: TV Brasil

Uma por Uma
Autores: Ciara Núbia de Carvalho Alves e Julliana de Melo Correia e Sá
Veículo: Jornal do Commercio (PE)

O Mapa da Fome do Brasil
Autor: Daniel Paulino Mota
Veículo: RecordTV

A Tropa dos Confrontos
Autor: Igor Mello e Fábio Teixeira
Veículo: O Globo

Escravos no Século 21
Autora: Jennifer Ann Thomas
Veículo: Veja

 

• Práticas Humanísticas

Banco de dados Leoneide Ferreira – iPenha
Autores: Francisco de Jesus Lima e Liliane Oliveira

Lei Maria da Penha nas escolas
Autores: Francisco de Jesus Lima e Marcela Castro Barbosa

A janela
Autores: Izilda Aparecida Furlaneto Ferreira, Ana Beatriz da Cunha, João Pedro Vitor Arantes e Paula Dantas

Fogo cruzado
Autora: Maria Cecilia de Oliveira Rosa

Café das Fortes
Autores: Movimento Moleque e Monica Cunha

 

• Trabalhos Acadêmicos

Em meio de dores darás à luz: a violência obstétrica como afronta aos direitos humanos das mulheres
Autoras: Andressa Souza de Albuquerque e Lívia Pitelli Zamarian Houaiss

A violência de gênero e Lei Maria da Penha: uma análise das decisões do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul
Autora: Caroline Machado de Oliveira Azeredo

A espera pela justiça de transição no Brasil: da anistia à cidadania
Autores: Daniel Machado Gomes e Aline dos Santos Lima Rispoli

A difícil escolha entre viver artificialmente ou morrer com dignidade
Autor: Denis Augusto de Oliveira

O feminicídio e a cultura do ódio contra a mulher na sociedade patriarcal: conquistas e desafios
Autor: Leander Belizario da Silva

 

Premiação

Na categoria Trabalhos dos Magistrados, os três primeiros colocados serão premiados com troféus. Nas demais categorias, o primeiro lugar ganhará R$ 15 mil; o segundo, R$ 10 mil; e o terceiro, R$ 5 mil. Os três primeiros colocados também receberão troféus. Os outros finalistas serão homenageados com Menções Honrosas. A instituição Cáritas, vinculada à Arquidiocese do Rio de Janeiro, será homenageada com o Troféu Hors-Concours pela atuação abnegada e permanente em defesa do refugiado desfavorecido.

Compõem a Comissão Julgadora do Prêmio: Artur de Brito Gueiros Souza, Daniel Sarmento e Gustavo Binenbojm (Trabalhos dos Magistrados), Aziz Filho, José Carlos Tedesco e Sergio Torres (Reportagens Jornalísticas), Marcelo Alves Lima, Márcia Nina Bernardes, Mariana Thorstensen Possas e Adilson Cabral (Práticas Humanísticas) e Marcio Castilho, João Batista de Abreu, Cristian Wittmann e Eula D.T. Cabral (Trabalhos Acadêmicos). A premiação é coordenada pela juíza Marcia Succi (diretora de Direitos Humanos e Proteção Integral da AMAERJ).

O 7º Prêmio bateu o recorde histórico de inscritos, com 355 trabalhos. O número deste ano superou as edições de 2014 (240 inscritos) e 2017 (224). Criado em 2012, o Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos celebra a memória da juíza, da 4ª Vara Criminal de São Gonçalo, morta em 2011, em Niterói, por policiais militares.

Os parceiros do Prêmio são Portobello Resort & Safari, Associação dos Notários e Registradores do Brasil-RJ (Anoreg-RJ), Multiplan, Confederação Nacional do Comércio (CNC), O Dia, Bradesco, Caixa e Governo Federal. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro apoia a premiação.

 

(Fonte: Ascom da Amaerj)