Oficiais de Justiça recebem dicas de segurança que servem para todos. Aprenda também!
Notícia publicada por Assessoria de Imprensa em 11/05/2018 12:00

Diversas medidas de segurança foram ensinadas, quinta-feira (10/5), a Oficiais de Justiça pelos diretores do Departamento de Segurança Institucional do TJRJ, Vinícius Barros; da Divisão de Atividades Contingenciais do TJRJ, Alvaro Andrade; e da Divisão de Assessoramento para Oficiais de Justiça, Jane Amaral, em palestra na Escola de Administração Judiciária (ESAJ) promovida pela Diretoria Geral de Fiscalização Judicial da Corregedoria Geral da Justiça.

A palestra “Medidas Preventivas de Segurança para Oficiais de Justiça”, aberta pelo diretor da DGFAJ, Claudio Torres, começou com o diretor do Departamento de Segurança Institucional dando dicas gerais de segurança, que, segundo ele,  devem ser seguidas por toda a população e não só pelos Oficiais de Justiça que, depois, aprenderam medidas específicas para o exercício de suas funções com o menor risco possível.

- Segurança é um assunto muito complexo, mas várias técnicas simples devem ser adotadas no dia a dia evitando que as pessoas se vejam em situações difíceis e que saibam sair delas se não puderem impedir que aconteçam. O delito tem quatro tipos de motivação: econômica, ideológica, pessoal e psicológica. O  que podemos fazer é interferir na oportunidade de o agressor agir. Para isso, devemos estar sempre atentos – explicou Barros.

Ele citou o conceito OODA, criado pelo coronel John Boyd, piloto da Força Aérea Americana:^Observar, Orientar, Decidir e Agir:

- Observar o local, analisar as informações possíveis, decidir como agir ou reagir e implementar a conclusão do pensamento. Ganha quem faz isso mais rápido. E, se não houver um jeito de escapar, entrando em uma loja por exemplo, temos que estar preparados para evitar uma exposição maior ao perigo. Não é para virar paranoia, mas para evitar que sejamos surpreendidos.

Algumas das dicas para a população em geral:

  • Ao chegar e sair de casa, observar o entorno, ver se existem pessoas e veículos que possam levantar suspeita. Se estiver de carro, observe tudo antes de abrir o portão.
  • Evite sair de ré da garagem. Você vai demorar mais para ver o que está acontecendo na rua e poderá ser rendido com mais facilidade.
  • Cuidado com o uso do telefone, considerado um meio de comunicação sem segurança. Não dê dados pessoais pelo celular. Pessoas próximas, mal intencionadas, podem estar ouvindo. Não forneça dados, rotinas, localização, viagens e agendas. Não dê nem confirme dados particulares, como RG, CPF, dados bancários, senhas e endereços.
  • Na agenda do celular, não coloque graus de parentesco ou de relacionamento como Mãe, Pai, Filho, Juiz tal, Coronel tal...
  • Forme um círculo de proteção com amigos, colegas de trabalho, familiares e funcionários. Combine senhas para evitar o golpe do sequestro, por exemplo.
  • Ao contratar mão de obra, fixa ou temporária, verifique empregos anteriores, perfis em redes sociais, relações pessoais, atualize dados pessoais, fotos. Restrinja o acesso às chaves de casa. Não fale sobre viagens e questões financeiras na presença de empregados.
  • Se possível, use câmeras residenciais e controle tudo pelo celular.
  • No caso de prestadores de serviço de empresas, antes de abrir o portão, cheque o número da ordem de serviço, o nome do prestador e a data exata do serviço a ser prestado.
  • No caso de delivery, evite que o entregador entre no prédio. Se entrar, desça e pegue a encomenda na portaria. Não deixe o entregador entrar em sua casa. Ele pode observar detalhes corriqueiros para você, mas importantes para quem tem más intenções.
  • Faça revisões periódicas de seu carro para evitar que ele enguice em locais ermos e perigosos.
  • Cuidado com o uso de aplicativos e GPS: eles costumam indicar os caminhos mais curtos não os mais seguros. Veja no mapa, anote nomes de ruas, peça dicas de amigos sobre o melhor caminho, estude trajetos alternativos, verifique pontos de apoio (delegacias, hospitais etc).
  • Cuidado com pedidos de socorro feitos na beirada de estradas e em locais estranhos: infelizmente, pode ser golpe.
  • Ao pegar táxis e Uber, pesquise antes o trajeto.
  • Ao parar em sinais de trânsito lembre-se de que a maioria das abordagens acontece pelo lado esquerdo do carro. Portanto, evite parar na pista da esquerda ficando mais exposto a abordagens. Dirija com as janelas do carro fechadas, principalmente ao parar nos sinais de trânsito e no caso de engarrafamentos.
  • Fique atento a aproximação de pessoas e veículos: use os retrovisores.
  • Não pegue o celular ao parar nos sinais. Deixe para ler mensagens e atender ligações antes de sair de casa ou depois que chegar no destino.

 

- Não há uma solução para tudo. Não existe uma receita perfeita de bolo. Temos que ficar sempre atentos. O meliante sempre prefere atacar a pessoa que está mais distraída oferecendo, portanto, menor chance de reação – ensinou Barros.