Desembargador Antônio Izaías da Costa Abreu é homenageado por Comissão de Preservação da Memória Judiciária
Notícia publicada por ASCOM - CGJ em 30/11/2022 15:49

Nesta terça-feira (29/11), o desembargador Antônio Izaías da Costa Abreu que, por décadas, exerceu a magistratura no Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro e, desde a aposentadoria, dedicou-se voluntariamente ao Museu da Justiça até a sua morte, foi homenageado com o seu retrato inaugurado na Galeria da Comissão de Preservação da Memória Judiciária. 

A cerimônia contou com a participação do corregedor-geral da Justiça, desembargador Ricardo Rodrigues Cardozo; do desembargador Marcus Antonio de Souza Faver, presidente em exercício da Comissão de Preservação da Memória Judiciária; do desembargador Miguel Pachá, presidente do TJRJ no biênio 2003/2004; do desembargador Peterson Barroso Simão, presidente do Instituto dos Magistrados do Brasil; da presidente da AMAERJ, Eunice Haddad; do professor Arno Wehling, membro da Academia Brasileira de Letras; de Elizabeth Almeida Abreu, filha do desembargador homenageado; entre outros.

 

Sobre o homenageado

Sócio titular do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro – IHGB, era também acadêmico correspondente da Academia Portuguesa da História; membro titular, honorário, associado emérito e correspondente de renomados institutos e academias, no Brasil e no exterior, como a Société Internationale de Prophylaxie Criminelle, com sede em Paris, e Academia Paraguaya de la História, com sede em Assunção, entre outras.

Ao longo de sua trajetória, o desembargador Antônio Izaías da Costa Abreu foi agraciado com inúmeros títulos e comendas, em reconhecimento por toda uma vida de dedicada ao direito e à história. Professor de Direito Civil e Direito Penal da Universidade Católica de Petrópolis - UCP por mais de vinte anos, foi também autor das obras: O Linguajar do Marginalizado - sociologia criminal (1983); Quilombos em Petrópolis (1988); Municípios e Topônimos Fluminenses (1994); A Morte de Koeler - a tragédia que abalou Petrópolis (1996) Ternas Recordações – poesias (1999); Palácios e Fóruns do Judiciário do Estado do Rio de Janeiro (2005); O Judiciário Fluminense - período republicano (2006); O Judiciário Fluminense e suas Comarcas – capital (2008); Comarcas Fluminenses – interior (2009) e A Colonização do Sudeste – a prevalência italiana (2012); O que Vi e Ouvi, crônicas anedotizadas (2017); O Humor e o Riso, em versos livres (2019).

 

Na foto 1: Da esquerda para direita: o desembargador Marcus Faver; Elizabeth Almeida Abreu, filha do homenageado; o desembargador Miguel Pachá; o 1º vice-presidente do TJRJ, desr José Carlos Maldonado; a presidente da AMAERJ, juíza Eunice Haddad; o corregedor Ricardo Cardozo; e juiz Joel Pereira. Na foto2: Da esquerda para direita: o desembargador Marcus Faver; Elizabeth Abreu, filha do homenageado; o desembargador José Carlos Maldonado; e o corregedor Ricardo Rodrigues Cardozo