Assessoria Imprensa (Dest. Foto/Texto)

Retornar para página inteira

Cerca de 2.500 processos foram movimentados em mutirão em Angra dos Reis

Notícia publicada pela Assessoria de Imprensa em Wed Sep 06 17:27:00 BRT 2017

Durante o mês de agosto, a Corregedoria Geral da Justiça promoveu um mutirão em Angra dos Reis para agilizar o andamento de processos. De 7 a 25 de agosto foram movimentados cerca de 2.500 processos, sendo que na última semana (de 21 a 25 - Semana Nacional Justiça pela Paz em Casa, uma campanha do Conselho Nacional de Justiça) foram realizadas 73 audiências de casos de violência doméstica.

A juíza Melina Frantz Becker e o juiz Flávio Almeida Batista estiveram à frente do mutirão e elogiaram o comprometimento dos serventuários que dele participaram.

- Havia muitos processos acumulados e foi muito bom contar com esse mutirão para poder fazer efetivamente algo pela população de Angra dos Reis. Algumas vítimas achavam que o Judiciário não estava se importando com elas, o que não é verdade. Foi um esforço concentrado, uma chance de o cartório voltar à ordem. Agora, nosso desafio é manter tudo   em dia dando agilidade aos processos que forem chegando – disse a juíza.

Ela contou que a iniciativa da Corregedoria Geral de realizar o mutirão em Angra dos Reis foi muito bem recebida pela população e pelos servidores do gabinete e do cartório (além dos estagiários), que comemoram a oportunidade de receber ajuda para agilizar os processos (622 estavam parados há mais de 60 dias).

Em relação ao comprometimento dos serventuários que participaram do mutirão, Melina Becker acrescentou ser muito difícil destacar apenas um, mas elogiou Danielle Gonçalves Gomes Martins, servidora do cartório. Deficiente visual, ela precisa de lupa para ler os documentos:

- Danielle é muito ágil e antenada. Sabe o que faz e é muito comprometida com o trabalho.